sábado, 11 de julho de 2009

FIFA proibe marketing religioso

Este assunto foi pulicado, com destaque, nos jornais de boa parte do mundo e veiculado por toda a imprensa. Independente dos motivos alegados pela FIFA será que no momento em que o mundo sofre tantas perturbações, provocadas pelo desrespeito e desamor que afeta parte significativa da humanidade, manifestações de fé deveriam ser proibidas? - Decisões como esta já foi adotada até em relação ao ensinamento religioso nas escolas. E no Tribunal de Justiça do Rio, depois de décadas, foi retirado o crucifíxo existente no plenário do Õrgão Especial. Não é melhor somar que subtrair? - agora a FIFA - entidade maior do futebol no mundo - decidiu proibir atitudes como a de Lúcio, zagueiro da Seleção Brasileira, que pôs uma camisa com os dizeres "Eu pertenço a Deus" após a final da Copa das Confederações. O mundo precisa de amor.... Deus..... Jesus..... (independente da religião) .....respeito entre as pessoas..... bons exemplos das autoridades e não de decisões equivocadas de quem normalmente não acredita em nada, aliás acredita só no poder dos homens, no dinheiro e visa apenas os interesses pessoais. É lamentável.

Um comentário:

jaqueline disse...

arbitario pois todas as pessoas tem o direito de se espresar do modo que quer