terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Falha de comunicação

Algumas pessoas, que telefonaram para a Rádio Globo, demonstraram preocupação em relação ao comentário que fiz a respeito da assessoria de imprensa do INSS, a nível de Brasil. Eu disse que os colegas da imprensa falharam pois deixaram que os veículos de comunicação divulgassem durante mais de 15 dias que a única exigência para conseguir a aposentadoria, em 30 minutos, era que o segurado levasse apenas a carteira de identidade. Na verdade, pelo menos no primeiro dia de atendimento, isso não aconteceu. Os funcionários, na maioria dos postos, exigiram a documentação completa, para conferir se era a mesma arquivada pelo CPD do Instituto. Como jornalista ( a maior parte do tempo trabalhando na Rádio Globo) sempre tive uma posição muito crítica, defendendo de forma veemente o que considero certo e denunciando o que na minha opinião está errado, ou precisa ser corrigido. Sou totalmente contra a coorporativismos e fico indignado quando vejo magistrados acobertando atos criminosos de colegas, ou médicos fazendo o mesmo, policiais e principalmente a imprensa, da qual faço parte. Não concordo com quem pensa que assessor de imprensa seja apenas um repassador de notícias da autoridade que ele assessora. O assessor tem a obrigação de chamar a atenção da autoridade (com o devido respeito, é claro) quando a informação repassada não corresponde com a realidade. E para isso o jornalista precisa ser qualificado o suficiente para compreender quando uma notícia é nociva a sociedade. Não sou e nunca fui dedo duro, e ao criticar colegas de profissão estou apenas sendo justo, reconhecendo porém que as vezes o assessor de imprensa é competente, mas tem o trabalho tolido por autoridades que por excesso de vaidade ou ignorância não delegam a sua assessoria o poder que precisa ter para realizar um bom trabalho. O assessor precisa acompanhar o que está sendo veiculado e pedir retificação se o erro for da imprensa ou desculpas se a informação tiver sido passada errada. Acontece que hoje no Brasil a irresponsabilidade é tanta que tenho a impressão que são poucos aqueles que desejam "esclarecer", a maioria age como se quizesse "confundir".

2 comentários:

Suzana Leal-SP disse...

Entendi o que você quis dizer, embora o Antonio Carlos, a quem vc parece ser tão leal, não tenha compreendido.
Bjs da Suzana Leal - SP

Anônimo disse...

Acho que vc deveria ter mais tempo para expor suas opiniões, mas o Antonio Carlos não permite. No entanto, o Malho lá de São Paulo fala pelos cotovelos e ele não corta. Mesmo assim o AC parece gostar muito de você e seu trabalho, mas nem sempre as pessoas tratam quem gosta como deveriam. Abraço da Jura (Rocha Miranda)RJ